Por que a depressão pode levar ao suicídio?

Porque a depressão pode levar ao suicídio

Segundo dados da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS Brasil), com dados de 2018, cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio todos os anos.

Ainda, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens na faixa-etária entre 15 e 29 anos.

Este triste acontecimento afeta, além dos familiares, toda a sociedade em um nível mais geral.

Sinais de alerta de suicídio: no que prestar atenção e o que fazer

O suicídio é evitável. E isso começa com saber o que procurar e o que fazer.

Caso perceba algum dos sinais listados, entre em contato com autoridades médicas, como o SAMU, ou com o Centro de Valorização da Vida (CVV), no telefone 188.

Tentar estabelecer as causas que levam alguém ao suicídio é um diagnóstico de difícil fixação até para os especialistas médicos mais renomados.

Depressão

Segundo dados da OMS, a depressão é uma das formas mais incapacitantes de transtorno mental. Dentre seus sintomas, destacam-se:

  • Melancolia diária;
  • Apatia diante de atividades rotineiras, irritabilidade, abatimento, diminuição da libido;
  • Perda ou ganho de peso sem causas aparentes;
  • Sonolência constante e/ou insônia, cansaço, falta de energia;
  • Sentimentos de inadequação, paranoia, ansiedade;
  • Pensamentos fixos em morte e suicídio.
  • Dessa forma, primeiramente, é importante explicar que transtornos psicológicos podem se caracterizar por ser uma doença mental ou distúrbio psiquiátrico, cujo diagnóstico é realizado por médico psiquiatra.
  • Pessoas acometidas por esse mal apresentam comportamentos ou aspectos mentais que causam sofrimento, atitudes irregulares ou bloqueios para a atuação no cotidiano.

Sinais de aviso

As pessoas que tentam suicídio normalmente não querem morrer, mas acabarem com a dor.

Não descarte a conversa deles sobre suicídio como apenas ameaças. Se você perceber algum sinal de que eles estejam pensando em se prejudicar, peça ajuda.

Os sinais podem envolver:

  • Fixação na morte, sendo que alguns falam abertamente sobre querer morrer ou cometer suicídio.
  • Fazem planos para se preparar para a morte, como atualizar um testamento, doar coisas e dizer adeus aos outros. Alguns podem escrever uma nota de suicídio.
  • Tornam-se isolados, evitando contato com amigos íntimos e familiares, perdes interesse em atividades e eventos sociais.
  • Mostras desespero, mencionando dor insuportável, ou sentir que são um fardo para os outros.
  • Mostras oscilações de humor, com sinais ansiedade, tristeza ou raiva. O humor também pode oscilar para a irritação, mau-humor constante, agressividade.
  • Dormem muito ou dormem pouco.
  • Fazem uso de álcool e drogas, sendo que o uso indevido de substâncias aumenta a chance de suicídio.
  • Atuam com imprudência, colocando-se em situações perigosas, como dirigir bêbado ou fazer sexo de risco.

Prevenção

O diagnóstico é essencial para que atividades, terapias e medicações sejam eficazes no enfrentamento dos transtornos e para se evitar o suicídio.

Tratamentos

As abordagens envolvem tratamentos que incluem medicação, terapia eletroconvulsivante e outras e os tratamentos psicoterapêuticos que podem ocorrer individualmente, em grupos, com a família, conjugal.

Além disso, existem as terapias comportamentais e a hipnoterapia.

O suicídio é uma realidade triste e crescente nos dias atuais. O diálogo aberto e sem preconceitos é uma forma de se evitar que mais ações assim continuem ocorrendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *