Obesidade uma doença que não escolhe idade

post_obesidade_blog

Para se compreender a obesidade, precisam-se conhecer alguns pontos, como: seu conceito, seu público alvo, diagnóstico, tratamento, prevenção, etc.

A obesidade é uma doença crônica, que apresenta um aumento de gordura no organismo.

A própria pessoa (exceto bebês ou crianças) pode identificar o problema.  Calcular o IMC (Índice de Massa Corpórea) pode ajudar neste reconhecimento.

De acordo com os dados divulgados pela Organização mundial de Saúde, resultados acima de 30 kg/m² já se considera uma pessoa obesa. Além desta numeração tem se os graus da obesidade. Assim, através dessa informação é possível identificar o tratamento que melhor cabe para aquela pessoa.

Para fazer esta conta deve ter o peso (kg), dividido pela altura(m) ao quadrado.

O uso de medicamentos em alguns casos é importantíssimo, para efeito mais rápido quando o risco de morte é mais evidente.

Quando a doença é descoberta mais cedo, maiores as chances de um tratamento menos estressante e com mais chances de melhora no quadro. Principalmente quando se tem uma predisposição genética.

A obesidade afeta todas as idades, e precisamos pensar um como prevenir, tratar e resolver este problema.

Obesidade na criança

Este é o momento de formação da pessoa, onde se molda seu funcionamento para a vida adulta.

Um estudo com mais de 4.000 crianças de ambos os sexos, com idade entre 6 e 11 anos, mostrou que estas estavam obesas ou com sobrepeso, e já apresentavam pressão arterial elevada. Além de, apresentarem o desenvolvimento de outras doenças como diabetes, intolerância a lactose, glicose, colesterol, entre outras.

Os hábitos alimentares e a rotina mudaram ao longo dos anos. Elas não brincam na rua, onde era possível um gasto maior de energia e consequentemente de gordura. A comida é mais rápida, ou seja, mais industrializada. Portanto, promove o aumento da gordura no organismo.

Pequenas mudanças no dia a dia da família podem favorecer uma alimentação mais saudável.

Obesidade no adolescente

Assim como na fase infantil, os costumes inadequados se estendem na adolescência. Eles permanecem muito tempo em casa e sem nenhuma atividade que gaste essa energia que o jovem tem, e se intensifica neste ciclo da vida.

O hormônio, que tem uma elevação neste momento pode contribuir para uma dificuldade me lidar com questões que são recorrentes nesta etapa. Aparece a questão estética, a imagem que o jovem tem de si e como u outro o vê. A necessidade de pertencer a um grupo. Além de outras possíveis doenças como a ansiedade e depressão. Tudo isto pode aumentar o risco de uma doença crônica como a obesidade, porque deixa o individuo mais vulnerável.

Realizar acompanhamento com profissionais especializados pode ajudar o adolescente a lidar com estas mudanças de uma forma melhor.

Obesidade no adulto

Nesta fase a formação já está completa. O que significa uma dificuldade em realizar mudanças. Porque os hábitos estão mais fortes, entretanto é possível uma correção nestes costumes indesejados.

A utilização de remédio, claro, após uma consulta médica pode contribuir pra isto. Assim como outras medidas como substituir alguns alimentos e a pratica de exercício, é essencial para se combater a obesidade. Porque o risco de morte é maior nesta fase do que nas anteriores.

A baixa auto-estima é uma das grandes responsáveis pelos problemas emocionais aparecem nesta fase. Pois, muitos adultos obesos não conseguem se envolver afetivamente, e aqueles que possuem um relacionamento, podem apresentar problemas para mantê-los. Novamente a visão estética e a imagem do corpo estão envolvidas com a obesidade.

Obesidade do idoso

Nesta fase da vida onde o organismo trabalha mais lentamente, os cuidados devem ser ainda maiores. Porque a uma grande chance de este idoso apresentar doenças associadas ao processo fisiológico do envelhecer.

A alimentação apropriada e exercícios físicos podem ajudar a manter o peso adequado.

Uma grande parcela dos idosos não trabalha, portanto tem muito tempo ocioso. É importante realizar qualquer atividade, para se sentirem mais produtivos.

Lembrando, que uma avaliação médica e acompanhamento com outros profissionais devem ser realizados e suas orientação seguidas, ter uma melhora desta doença que afeta todas as idades.

Para ficar por dentro deste e de diversos temas relacionados a saúde e bem-estar, acesse nosso blog e siga-nos nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *